«

»

Oct 05 2007

Antonio Adolfo: Discografia Básica

Antonio Adolfo

Antonio Adolfo

Antonio Adolfo Maurity Saboia

Rio de Janeiro, 1947

 

 

Antonio Adolfo começou cedo na música. Aos 7 anos, talvez por influência dos pais – sua mãe, Yolanda Maurity, era violinista e professora de música – iniciou seus estudos em violino, com a professora Paulina D’Ambrozzio. O piano viria somente aos 15, tendo estreado profissionalmente em 1964, com o aval de Carlos Lyra e Vinícius de Moraes, na peça ‘Pobre Menina Rica’. Nessa mesma época, formou o grupo 3-D.

Em 1968, conheceu Tibério Gaspar, parceiro de consagradas composições, como “Juliana” (“…botão de rosa perfumosa e linda, tão menina ainda a desabrochar…”), “Sá Marina” (“Descendo a rua da ladeira só quem viu que pode contar…”), “Teletema” e “BR-3” (é antológico o visual Black Power de Tony Tornado, que a defendeu no V FIC) – canções que podem ser consideradas como uma vertente do tropicalismo, com cores não tão carregadas, como fizeram Gil, Tom Zé e Caetano. Não havia, além disso, uma inclusão implícita de Adolfo no movimento, talvez porque junto com sua Brazuca – grupo por ele integrado, não se considerasse um tropicalista. Ao mesmo tempo, Evinha também foi responsável pelo sucesso “Teletema”.

Apesar do sucesso conquistado nos Festivais Internacionais da Canção, a década de 70 foi particularmente difícil para Antonio Adolfo, que, não conseguindo editar seus discos de forma convencional, ao contrário do irmão Ruy Maurity, fundou seu próprio selo, o Artezanal (com “z” mesmo). Nasce, então, uma página importante na história musical brasileira – o disco totalmente independente. Ganhava o título de “Feito em Casa”, após o qual se seguiram: “Encontro Musical”, “Viralata” e “Continuidade…”, todos respaldados pela crítica e impulsionados pela maratona de shows pelo Brasil, ao lado de Tião Neto, Vitor Assis Brasil, Carmélia Alves, Oswaldinho do Acordeom, Alaíde Costa, Sidney Miller, Walter Queiroz e Danilo Caymmi, entre outros.

Deve-se também a Antonio Adolfo (assim como a Arthur Moreira Lima e Clara Sverner) a recuperação de parte da memória da música instrumental de Ernesto Nazareth, João Pernambuco e Chiquinha Gonzaga. Esse lado de AA é o que vemos nos lançamentos dos discos João Pernambuco, feito em parceria com o grupo Nó em Pingo d’Água, especialmente para a FUNARTE, Antonio Adolfo Abraça Ernesto Nazareth e Antonio Adolfo Abraça Chiquinha Gonzaga (com Nilson Chaves e Vital Lima), além de Chiquinha com Jazz. É também relevante sua participação no álbum Os Pianeiros, para a FENAB/Banco do Brasil, em que interpreta obras de compositores do início do século, que animavam a sala de espera de antigos cinemas do Rio de Janeiro.

É reconhecido o expressivo talento de AA, como arranjador. Isto pode ser atestado pelos inúmeros trabalhos feitos para Leci Brandão, Ângela Rô Rô, Elizeth Cardoso, Emílio Santiago, Fátima Guedes, Marcos Valle, Mongol, Nara Leão, O Grupo, Ruy Maurity, Sueli Costa, Vinícius Cantuária e Zezé Motta.

 

Para Conhecer Melhor…


FEITO EM CASA – ARTEZANAL – 1978

Faixas: Feito Em Casa (Antonio Adolfo) / Acalanto (Antonio Adolfo) / Venice (Antonio Adolfo) / Chickote (Antonio Adolfo) / Dia De Paz (Antonio Adolfo – Jorge Mautner) / Beijinho (Antonio Adolfo) / Variações (Antonio Adolfo) / Aonde Você Vai? (Antonio Adolfo) / As Luzes Estão Brilhando (Antonio Adolfo – Jorge Mautner) / Vê (Antonio Adolfo) / Virry (Antonio Adolfo)

ENCONTRO MUSICAL – ARTEZANAL – 1978

Faixas: Sá Marina (Antonio Adolfo – Tibério Gaspar) / Balada (Antonio Adolfo) / A Volta Do Sanfoneiro (Antonio Adolfo) / Um Passeio Da Mente (Antonio Adolfo) / Em Brasília (Antonio Adolfo) / Nas Quebradas Da Vida (Antonio Adolfo) / Leve Como O Vento (Antonio Adolfo) / As Coisas Que Tenho A Dizer (Antonio Adolfo) / Carola (Antonio Adolfo) / O Silêncio Da Montanha (Antonio Adolfo) / Prelúdio Em Dó Menor (Antonio Adolfo) / Cançoneta (Antonio Adolfo)

Participações Especiais de Erasmo Carlos, Malu e Joyce.

VIRALATA – ARTEZANAL – 1979

Faixas: Cascavel (Antonio Adolfo) / Paraíba Do Sul (Antonio Adolfo) / Brincadeira Em Ré (Antonio Adolfo) / Brincadeira Em Mi Bemol (Antonio Adolfo) / Caminhada (Antonio Adolfo – Tibério Gaspar) / Vermelhinho (Antonio Adolfo) / Nordeste (Variação Sobre O Tema De “A Saudade Mata A Gente”) (Antonio Adolfo) / Alegria De Carnaval (Antonio Adolfo – Tibério Gaspar) / Diana E Paulo (Antonio Adolfo) / Viralata (Antonio Adolfo) / Assanhada (Antonio Adolfo) / A Marcha (Antonio Adolfo)

CONTINUIDADE… – ARTEZANAL

Faixas: Até Que Venha O Amor (Antonio Adolfo) / Já É Hora (Antonio Adolfo) / A Cada Dia Que Passa (Antonio Adolfo) / Outro Tom (Antonio Adolfo) / Venho No Passo (Antonio Adolfo – Heber Fonseca) / Valsa Para Yolanda (Antonio Adolfo) / Deixa A Fonte Despejar (Antonio Adolfo) / Xote Da Integridade (Antonio Adolfo) / Morê, Morena (Antônio Adolfo)

Participações Especiais De Viva Voz, Emílio Santiago, Hildon E Maurício Eihorn.

VIVA CHIQUINHA GONZAGA – ARTEZANAL – 1985

Faixas: Ó Abre Alas (Chiquinha Gonzaga) / Faceiro (Chiquinha Gonzaga) / A Corte Na Roça (Chiquinha Gonzaga) / Satan (Chiquinha Gonzaga) / Gaúcho (Chiquinha Gonzaga) / Cordão Carnavalesco (Chiquinha Gonzaga) / Angá (Chiquinha Gonzaga) / Ismênia (Chiquinha Gonzaga) / O Forrobodó (Chiquinha Gonzaga) / Lua Branca (Chiquinha Gonzaga) / Atraente (Chiquinha Gonzaga)

Participações Especiais de Nilson Chaves e Vital Lima

MÚSICA POPULAR BRASILEIRA – 02 – FUNARTE – 1984

Faixas: Interrogando (João Pernambuco) / Mimoso (João Pernambuco) / Sonho De Magia (João Pernambuco) / Graúna (João Pernambuco) / Choro Em Sol (João Pernambuco) / Sentindo (João Pernambuco) / Rosa Carioca (João Pernambuco) / Brasileirinho (João Pernambuco) / Dengoso (João Pernambuco) / Valsa Em Lá (João Pernambuco) / Sons De Carrilhões (João Pernambuco) / A Estrada Do Sertão (João Pernambuco)

Participação do Grupo Nó em Pingo D’Água

CRISTALINO – SOM LIVRE/CHORUS – 1993

Faixas: Agitadinho (Antonio Adolfo) / Trem da Serra (Antonio Adolfo) / Floresta (Antonio Adolfo) / Bom Dia (Antonio Adolfo) / Cristalina (Antonio Adolfo) / 1999 (Antonio Adolfo) / Cromático (Antonio Adolfo) / Balada (Antonio Adolfo) / J.P. Saudações (Antonio Adolfo) / Sá Marina (Antonio Adolfo – Tibério Gaspar)

CHIQUINHA COM JAZZ – ARTEZANAL – 1997 (Distribuído pela Kuarup)

Faixas: Atraente / Cordão Carnavalesco / Lua Branca / Angá / Gaúcho (Corta-Jaca) / Forrobodó / A Corte na Roça / Satan / Ismênia / Faceiro / Ô Abre Alas


Antônio Adolfo, por outros intérpretes:

Nara Leão: Penar (Antonio Adolfo – Paulinho Tapajós)

Marisa Gata Mansa: Plantando Sonhos (Antonio Adolfo – Paulinho Tapajós)

Ângela Rô Rô: Quem Me Quiser (Antonio Adolfo – Jésus Rocha) e Se Você Voltar (Antonio Adolfo – Ângela Rô Rô)

Dóris Monteiro: Vamos Partir Pro Mundo (Antonio Adolfo – Tibério Gaspar)

O Grupo: Alegria De Carnaval (Antonio Adolfo – Tibério Gaspar), Rosa Branca (Antonio Adolfo – Tibério Gaspar) e Sá Marina (Antonio Adolfo – Tibério Gaspar)

Wilson Simonal: Sá Marina (Antonio Adolfo – Tibério Gaspar), Moça (Antônio Adolfo – Tibério Gaspar), Aleluia Aleluia (Antonio Adolfo – Tibério Gaspar) e Meia Volta (Ana Cristina) (Antonio Adolfo – Tibério Gaspar)

Geraldo Vespar: Sá Marina (Antônio Adolfo – Tibério Gaspar)

Leci Brandão: Bela Fatal (Paulo André – Antônio Adolfo – Ruy Barata)

Emílio Santiago: Desafogo (Antônio Adolfo – Paulinho Tapajós)

Beth Carvalho: Sem Rumo E Sem Destino (Antônio Adolfo – Tobério Gaspar)

Sérgio Mendes & Brasil ’66: Pretty World (Sá Marina) (Antônio Adolfo – Tibério Gaspar – A. Bergman – M. Bergman)